14 feb. 2007

A Educação desalojada no Rio de Janeiro.Um absurdo na vida real!

http://vidasmarranas.blogspot.com/

Educação desalojada no Rio de Janeiro!!!



Imagens de manifestação realizada no lgo da Taquara

Prof Robson e Oswaldo em ação






Manifestaçao realizada na Gávea-Zona /sul

Educação é desalojada na capital Carioca.Os 'sem lugar e teto' de uma rede de solidariedade voltada para a inclusão ,reivindicam!!!


O “Vida Marranas” não pode se ausentar também nesta questão. ‘Sem tetos da educação’ clamam por lugar, lugar este legitimo dentro do uso do direito pela própria Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro- em seu artigo 324, inciso IV -o qual dá juz a reivindicação para o uso de dependências de escolas municipais para fins comunitários. E a rede de prés vestibulares comunitários nada mais são que a resposta em solidariedade e ativismo sem partidarismo frente ao sistema exclusor .O PVNC (Pré vestibular para negros e carentes) ao longo de mais de uma década e de existência ,possibilitou o acesso de milhares de jovens pobres e de origens marginalizadas à universidades públicas e de boa qualidade. E tal movimento não pode sucumbir perante um ditame da prefeitura do senhor prefeito ‘Imperador’ César Maia (PFL –RJ)

A atitude foi minimamente de péssima estratégia politica ou racista, friso,por parte da prefeitura para com jovens negros e brancos pobres da periferia do municipio.O Sr. César Maia desalojou, através de um decreto administrativo, cerca de 10 mil estudantes destes Prés vestibulares comunitários ,projeto que funciona há 12 anos nesta cidade e conta com mais de 120 núcleos que, através de aulas gratuitas, preparam alunos pobres oriundos da rede pública para o vestibular.

Com essa proibição, cerca de 12.000 jovens por ano ficarão sem essa única oportunidade de ingressarem no ensino superior. Será ele tão desinformado a ponto de não rever o seu erro e reavaliar o caso e suas alegações quanto a "gastos além da conta da energia elétrica, depredaçoes(...)"? (...)"? Uma péssima atitude politica e que dirá de principios vindo de alguém com tantos anos de vida pública ,quiçá ética por que vinda de alguém pretenso a disputas politicas além limites fluminenses.Como professor delineio um fato isolado foi ocorrido e ao contrário das alegações irrasciveis a presença destes Prés Vestibulares pelo contrário reforçam a segurança e zelo das escolas,uma vez que salas ociosas em fins de semana e a noite ganham presença via os interesses da comunidade ao redor.Será que então Sr César Maia não consegue perceber o quanto da importacia deste projeto em prol da inserção e democracia ao acesso ao ensino superior?

Os jovens excluídos de hoje , negros e brancos pobres , são o futuro da nossa sociedade. Esse projeto já tirou jovens da pobreza e da exclusão social e os colocou na universidade. Ele não pode parar. Ele não pode impedir o sonho de milhares! Unidos somos fortes. Precisamos pressionar o Prefeito. Precisamos fazer com que ele volte atrás.

Agora temos de refletir em conjunto sobre os próximos passos que daremos em relação a esta proibição da Prefeitura. O Prefeito manteve a sua posição de proibir o funcionamento dos pré-vestibulares comunitários nas escolas municipais. Em reunião com a assessoria da Secretaria Municipal de Educação,formalizou-se a proibição através da negação ao nosso pedido administrativo. Isso nos legitimou para entrar com uma representação no Ministério Público Estadual contra essa proibição (agora uma proibição formal, e não simplesmente uma circular).Em função retomaremos a nossa luta, pois graças a todas as movimentações realizadas tivemos uma aderência grande de outros movimentos sociais ligados a educação popular. Além disso, as nossas manifestações ajudarão bastante a atuação do Ministério Público Estadual.Continuam pisando no nosso jardim. Não podemos ficar calado frente a essa injustiça. Precisamos muito reforçar a importância do espaço público e a gravidade da decisão do Prefeito. Ela não afeta apenas aos Pré-Vestibulares, mas a toda a sociedade !!!

Cabe frisar que desde 22 de setembro, uma circular da Secretaria Municipal de Educação, enviada às Coordenadorias Regionais de Educação, comunicava oficialmente a interdição, que passará a vigorar em 2007. A medida – amparada em decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a partir de uma ação da prefeitura – torna inconstitucional a lei 3945/05. A legislação permitia a utilização de unidades da rede municipal de ensino por cursos pré-vestibulares comunitários.Desde então ao ser procurado por reportagens de um jornal carioca de grande circulação, Cesar Maia justificou a medida por “questões sanitárias e de segurança”. De acordo com o prefeito, em determinadas unidades “alunos fizeram necessidades no chão, sujaram o banheiro das crianças, fumaram maconha”.As acusações são graves e levianas. Sempre é possível que haja um problema pontual, mas não se trata de um movimento de porcos ou drogados. Sempre o Movimento dos PVNC’s tiveram boas relações com as direções das escolas.

Vale ressaltar que a decisão do Tribunal de Justiça não impede sumariamente que a prefeitura ceda as unidades do município aos pré-vestibulares. Apenas determina que não há obrigatoriedade desta cessão. Ceder ou não é uma prerrogativa da prefeitura. Mas o prefeito usou a decisão judicial e a transformou em decisão política. Existem motivações políticas dentro das próprias comunidades, vereadores que se sentem ameaçados. Já recebemos visitas de representantes políticos. Este é um trabalho muito importante para as comunidades. Não apenas por causa do vestibular, mas pelo caráter de cidadania. Portanto, não interessa a determinados políticos a formação de pessoas que 'pensam', e as razões alegadas por Cesar Maia não refletem a decisão judicial. Uma leitura rápida do despacho do juiz dá a entender que ele apenas apontou para a inconstitucionalidade de uma lei. Portanto, é preciso apresentar uma real justificativa aos cursinhos.Um precedente perigoso no sentido da falta de diálogo entre o poder municipal e movimentos de base.

Digo assim que a situação é crítica,mas ainda assim com esperanças.Todo movimento social necessita de mobilização.E acima de tudo de visualização frente a mídia.Passeatas já foram organizadas,veiculaçoes já mostradas.Ainda assim o Imperador,digo prefeito, César Maia ainda teima em não aceitar que sua jogada -e estratégia, para assim retroceder. Mas o que importa é que continuaremos! Em outras dependencias, mas seguiremos!Minha posição quanto ao Pré e as aulas é de abandonar a casa nunca, e como os demais dizem, eu os apoio.Acima de ser um curso comunitário,O Pré é um curso 'familia'.E onde lê-se o suor e sangue de tanta gente competente e mobilizada que passou por ali e que ainda lutam e que jamais abdicariam , determinados sempre, jamais retrocedendo, sempre segurando a bandeira por mais desigual que seja a luta.Mas a luta continua e acima de tudo não por eles apenas,mas pelos futuros alunos.

E nesta deixa uma dita rápida,mas contundente: o nosso governo propôs mudanças e já temo-nas feitas.Mas quanto ao acesso ao ensino superior e ao paliativo em voga devemos pensá-lo com coerência: Faculdades reprovadas pelo "provão"ainda estão aí, de portas abertas a alunos via PROUNI. Instituições até então quase falidas se recuperam graças a este fôlego do governo... Haja vista que nossa luta é por um verdadeiro espaço que é o de aluno na faculdade de boa qualidade,publica,friso.E não apenas'na que for possível chegar.Ou seja há um movimento tripartide de forças:pelo acesso ao ensino superior, melhoria do ensino superior gratuito e imprescindível melhoria do ensino de base afim de que num futuro,espero que próximo, paliativos não sejam tão necessários e determinantes para sanar as desigualdades sociais e étnicas que ,ainda,abundam nossa Nação.

No hay comentarios.: