28 feb. 2009

Amiguismo- Este meu neologismo

“Mas quem se importa? Ninguém se importa,sempre querem o seu melhor”

Este verbete criei-o anos atrás em uma mesa com dois amigos solteiros, na universidade: amiguismo. Como cabe uma tirada de galhofa ao neologismo , amiguismo não é charlatanismo

Solteiros tem a mente livre. Cabeças vazias que pensam tambem besteiras, mas por vezes usufruem com grande prazer uma relaçao de fraternidade.Amizade é o sentimento que demanda dada reciprocidade, não necessariamente um dom e contra dom ou troca de favores e ou troca de favores e obrigações. Mas esclarecendo : paixão exige interesse atração sexual, enquanto o que classificamos como amor nem cabe aqui defini lo, por que por tão complexo e conceito nada racional , passível de tantas criticas , o que seria apenas querer resumi-lo pensar em defini lo.Mas o que convém em ser?E amiguismo?

E um estado de espírito pelo qual sente se em relação a outrem. Não demanda reciprocidade ou diálogos como em uma amizade. É um gostar, acentuado por que nele operam o apreço, estima carinho, desejo de estar por perto, mas que ao deparar com uma não reciprocidade, ao invés de apenas desvencilhar se ao contrario, nisto muito próximo da paixão, não e tão fácil desmistificar o outro. Ate por que não sentiu tal apreço por alguma mitificação. Apenas aconteceu. Sem desejar,espontaneo e apenas.

Já houve quem me disse que amiguismo é uma redundância para a perda de tempo com coisa/sentimento que não nos (co(r))respondem. Mas será? Não posso sentir ‘amiguismo’ por uma parede, e sim apenas por seres que mínimo de reciprocidade emanem. Mas outra pergunta que me fizeram foi: mas se amiguismo não demanda uma cadeia necessária de respostas por palavras, não posso sentir ‘amiguismo’ por animalzinho meu de estimação? Eu iniciaria a resposta com outras indagações: você sente amizade por seu cãozinho? Você o dispõem da mesma forma e ao lado de como você conceitua o que sente por seus amigos?

Bem, eu tenho um gato, pássaros e cobaias em casa. E diria que amigos ou pessoas pela qual passamos por esta sensação-relação de amiguismo não podem ser domesticáveis, tal como eu mesmo não me domestico a estas. Aceito as sem necessária aceitação por parte destas .E se por exemplo dizemos que cães são os melhores amigos dos humanos ,por acaso existe relação em que você se importa com seu animalzinho sem ele sequer se importar com você?E inversamente .mesmo após uma briga ele sempre vem, solicito, sem uma memória humana quanto a traumas, mal tratos e desprezo.Então não é amiguismo.

Então, e um conceito que ainda não esta completamente definível, mas a ser reinventado sob esta ótica do apreço, preocupação ,interesse sem dom e contra dom, já separado da amizade, paixão -amor. Talvez amiguismo seja até mesmo uma perca de tempo num mundo tão volátil. Todos mal se falam , muito se dizem conhecerem-se como amigos. E por um erro outro entram em atrito tão rápido quanto foi a simulação de ‘amizade’. As pessoas se interessam e se desinteressam pelo outro de modo efusivo e efêmero.Tudo restringido a primeira impressão que fica: Não agradou, bye bye e tchau, sem se olhar para ver se o ‘santo de cada um se bica’ .Dfavil vem, facil vai,é assim que vivemos nossos dias. Dai creio que nos dias de hoje as pessoas devessem exercer o amiguismo nelas antes.seria bom para as amizades ,para os namoros, para toda sorte de convívio de modo geral. Daí quem sabe um sentimento real e preparado para conflitos de idéias e a completa aceitação do outro .Serve até o fulano, bletrano e conhecido momentâneo para a transa ,caso ou flerte. E tudo será bem aproveitável ..Ate por que nisto o amiguismo propicia este interessar-se sem exigir prestação de contas do outro. Sua razão e porquê ,não é a mera distração ou enganação de tempo num mundo em que temos milhares de conhecidos. E um estado de espírito no qual gostamos, sem esperar respostas do outro. Inclusive alem de exercermos o amiguismo, temos de nos precaver, por que eu mesmo já sofri por outra palavras derivada , por ‘amiguidade’.

Tá ai.Vamos exercer o amiguismo!


Sou ou nóS

O Nós estava em minha mochila e apenas ficou o Sou

Não pude evitar
Estava numa caixinha de confecção
Feita por uma criança de sonhos sem sal
Sem tempero
Exatametne como você deve achar ser
Sou
E não Nós

Aquelas musicas que você ouviu todas
E eu quis repetir
Para somente frisar
Sinto o que me fez sair daqui e assistir você fugir
Ainda que faça chuva ou faça sol
Andando em meio a multidão
Sorrindo como fosse um carnaval sem emoçao
A primavera se acabou
Os pássaros voltaram cedo pro mar
Não tem para onde voltar
Sou
E não Nós.

Numa cantiga de mpb
Ouvi um rock melódico sem roll
Você não quis escutar
Mas cantou o que d’outra boca só ouviu dizer

É
Sou
Numa sacola de confeccionar
Feita por uma criança de sonhos, sem sal
Sou
E não Nós

Com eu queria bem fazer
Viajar por todos os cantos
À aquele lugarzinho onde apenas
Nós, Sou
É

Lá às margens de um rio em que eu quis fazer mergulhar

É
Sou
E não Nós
Com a cantiga que você nem notou
Mas cantando o que d´outro apenas ouviu dizer

É
Sou
E não Nós
Por todas as paisagens de vídeo que te quis ver

Sou
E não nos
Como o presente que no ultimo instante
Depois de ás ruas procurar
E não quis te presentear
Melhor assim

Você jogaria fora
Como fez assim ao desaparecer
Ou que na verdade por que demoraria para me lembrar
E ficou
Numa caixinha de confecção
Com um gato preto de papel crepom

E guardei tudo pra mim
Pra não esquecer você
De suas historias de alma de mulher donzela
D’atiçou o desejo e o não saber
E
Sou
E não Nós
Como quis fazer
Um gato preto que morreu
Sou
Eu
Tão comum como todos os mortais
E
Sou
E não Nós

2 comentarios:

Anónimo dijo...

haha aq na lan a gt ta achando engraçado isso de amiguismo
essa foi boa. ah esse poema seu tem a ver com o titulo do cd novo daqle cara q era dos los hermanos? sou e nos

Anónimo dijo...

tenho um poeta na familia hahaha
lindo primo!