16 ago. 2008

Fronteira -prisão- covardia

Poesia
Apenas um momento
Perdido pela casa vazia ou a cabeça cheia
Poesia ou frases apenas
De desabafo de coisas do mundo

A fronteira
São meus olhos
Mas também meu espírito
Ao alcance do que não me é permitido
Agora olhar distante o que se faz perdido
Por que se cansa
Mais aconchegante este travesseiro
Inconformando-se com a rua sob vigia

Deixa que o mundo acontece
O outro mundo lá fora
E não é poético
Tampouco me espera

Não é apenas ínterim político
Faço pouco para evadir-me
Daqui e de mim mesmo
E não há sono
Apenas cochilo
Não há sonho
Apenas uma breve hesitação que na prisão traduz este desvario.

Poesia?
Com as frases vadias ,perdidas na cabeça cheia
Apenas pequena dose de morfina
Na tontura que traz o enjôo doutro dia
E não há como atravessar o portão para fora
As fronteiras não me permitem

Eles vigiam a tudo
Sucumbindo ao silencio aqui dentro
É preciso coragem para viver em silencio lá fora

(Como não morrer sob aprisionamento?)

1 comentario:

Anónimo dijo...

as vezes sinto a mesma coisa assim q e meio dificil de expressar meio medo covardia raiva uma prisao