27 ago. 2009

Repúdio ao racismo no Chile

A comunidade judaica do Chile se solidarizou com a comunidade palestina pelas pichações às suas instituições


Neste sentido, o presidente da CJCh, Gabriel Zaliasnik, emitiu uma nota solidarizando-se com a comunidade palestina, expressando que "a CJCh como tem sido sua posição histórica, repudia qualquer fato ou ato que direta o indiretamente impliquen em qualquer forma de importar o conflito do Oriente Médio ao nosso país".

Assim recebi o informe da Agencia Latina , e que deve ser divulgado.Segundo o informe frases como "Palestina não existe" e "árabe = terrorista" foram algumas das frases que apareceram pichadas no muro do Colégio Árabe e do Clube Palestino, no final do mês de julho, fatos que foram, imediatamente, condenados e repudiados pela comunidade judaica do Chile (CJCh).Vale lembrar que ha uma estimativa de que haja no Chile entre 500-800 mil,descendentes de árabes palestinos ,a maior colônia fora da Asia.

"Ambas comunidades -palestina e judaica- tem a obrigação de contribuir com a manutenção e aprofundamento dos laços de amizade que, ao longo de mais de 100 anos, tem se desenvolvido no Chile, e pelo mesmo não podemos permitir sob pretexto algum, que nossa convivência possa vir a ser abalada por ações de terceiros. Desejamos a paz para nossos povos e devemos mostrar nosso exemplo de paz e fraternidade no Chile", concluiu Zaliasnik.

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Boa!!!

Anónimo dijo...

cade o texto sobre a america latina armando?