22 feb. 2009

Comitê Ministerial de Israel emite "Declaração de Segurança Nacional"

Vidas Marranas:Compósito subterfúgio de observação do mundo.Hasbará,Recordações e Narrativas do que fez-se em esquecimento!Alguma verdade ainda existe em porões do silêncio,câmaras soturnas nos quais não passou a Grande História.Bem vindos.

"Recorda os dias do passado,lembra-os de geração em geração".Devarim

Comitê Ministerial de Israel emite
"Declaração de Segurança Nacional"


O Gabinete de Segurança de Israel realizou uma reunião em que os seguintes pontos foram deliberados:

1. A libertação do soldado sequestrado Gilad Shalit é - e continuará a ser - a maior prioridade de Israel. Israel continuará a envidar todos os esforços para se obter esta libertação. A libertação de Gilad Shalit resultará na libertação de prisioneiros palestinos, de acordo com a lista que será formulada e aprovada, logo que possível, por oficiais israelenses devidamente autorizados.

2. Israel não está negociando com o Hamas ou qualquer outra organização terrorista a fim de se chegar a entendimentos ou arranjos com esta organização sobre um cessar fogo.

3. Israel expressa sua profunda apreciação pelas tentativas e esforços das autoridades egípcias para se estabelecer o cessar fogo após a operação contra o Hamas, e por sua eficácia para mediar o retorno de Gilad Shalit. Nestes contextos, haverá coordenação com o Egito.

4. Israel continuará seus amplos esforços humanitários, em coordenação com a Autoridade Palestina e as organizações Internacionais pertinentes, a fim de fornecer as necessidades humanitárias básicas e imediatas à população Palestina. Com este fim, Israel permitirá atividades parciais nas passagens das fronteiras, de seu território para dentro da Faixa de Gaza.

5. Serão discutidas atividades mais amplas nas passagens após a libertação de Gilad Shalit.

6. A passagem de Rafah será aberta - em coordenação com o Egito e a Autoridade Palestina - apenas de acordo com os parâmetros que foram delineados em novembro de 2006.

7. Israel responderá rapidamente, com firmeza e continuamente à continuação de ações terroristas contra seu território a partir da Faixa de Gaza, incluindo disparos de foguetes, contrabando de armas e munições, e ao fortalecimento das organizações terroristas na Faixa de Gaza.

Neste contexto, Israel vê o Hamas como o único responsável por tudo o que ocorre na Faixa de Gaza e cobrará um alto preço pela continuação de ações terroristas, incluindo a questão do contrabando de armas.

O Gabinete de Segurança instruiu o Primeiro Ministro atual Ehud Olmert e o Ministro de Defesa Ehud Barak, a ordenar às Forças de Defesa de Israel para preparar a resposta de acordo com o necessário.

No hay comentarios.: