17 ago. 2009

Canção de Ninar

Canção de Ninar

Se o amor então se cansou
Durma, que a lua eu vigio
Se o céu te parece ruir em pedaços de vidro

Dançaremos em volta do fogo
subiremos com a maré
E amanheceremos de novo

Se o nosso olhar se perder
Em horizontes tão estranhos
E o mundo insistir em girar como numa ciranda .
E deixaremos as luzes acesas
E abriremos as portas da casa
Para termos então a certeza...

Que toda a noite será
eterna como um sonho
Que insistimos em ter

Então durma, durma
Que o dia não demora a sangrar
Com o canto do primeiro galo

Então durma, durma
Que o dia não demora a sangrar
Quando o primeiro galo cantar

Deixaremos as luzes acesas
E abriremos as portas da casa
Para termos então a certeza

Que toda a noite será
Eterna como um sonho
que insistimos em ter
então durma, durma

Que o dia não demora a sangrar
Com o canto do primeiro galo
então durma, durma
Que o dia não demora a sangrar
Quando o primeiro galo cantar...
------------------------------

Todos os dias quando acordo
Não tenho mais
O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo...

Todos os dias
Antes de dormir
Lembro e esqueço
Como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder...

Nosso suor sagrado
É bem mais belo
Que esse sangue amargo
E tão sério
E Selvagem! Selvagem!
Selvagem!...

Veja o sol
Dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega
É da cor dos teus olhos
Castanhos...

Então me abraça forte
E diz mais uma vez
Que já estamos
Distantes de tudo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo...

Não tenho medo do escuro
Mas deixe as luzes
Acesas agora
O que foi escondido
É o que se escondeu
E o que foi prometido
Ninguém prometeu
Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens...

Tão Jovens! Tão Jovens!...

1 comentario:

Anónimo dijo...

`o´
´ `

belissimo!a quem dedicou, escutou?