22 nov. 2007

'Não há lugar no mundo' poema de A.Aguiar

Impossível
Impossível
Compor um poema a essa altura da evolução da humanidade
Impossível uma linha mesmo que torta
Uma linha que seja
Por que tudo perde sua utilidade
Em que uma frase de subúrbio diria a causa de vir ao mundo?

O ultimo poeta morreu faz tempo
Hoje todo mundo é poeta
Todo o mundo é grande e já não basta apenas estar no mundo.


Ate eu mesmo na minha timidez e inutilidade tento escrever!
Quando ninguém mais lembra nem mesmo do poeta.
Eu sem respeito algum a heráldica
A nobiliarquia, tampouco aos muros entre classes e origem.
Minha descendência não é burguesa
Mas reivindico lugar nulo ,se nem pertenço a sindicatos.
Eu que não tenho nem Nome!!!
Mas sobraram causas, tantas.
E apenas sei
Morreu faz tempo o último, assim como este meu sentimento que me condena.


Não.
E se não penso entrar na imortalidade
Apenas então para que deixar sair sentimentos?

O mundo é vasto para gente miúda
Embora sonhar fosse atitude livre
Cerram nossas utopias ao defrontarmos com o Muro.
Na fabrica segue o tinir de martelos
No trem ,na condução segue a rotina e os murmúrios da gente simples.
Ah Impossível querer copiar ou compor algo que seja util a esta época .
Nessa altura de evolução da humanidade...
Hoje o mundo é mais dinâmico
Por que escutariam?

Nessa altura de evolução da humanidade
Ao invés de presença humana
Se está só
Entretido nesta sinestesia efêmera
Nesta ridícula promessa
De mãos dadas juntos em marchas únicas
Sonho irreal nesta impossibilidade de percursos

Ao invés de flores
Casos
Ao invés de Revolução
Criamos novas fronteiras.
Terceirizamos a tudo
Sentimentos
Tudo
Nessa altura de evolução da humanidade
Há maquinas
A preencher todas as necessidade humanas possíveis
O mundo é lugar vasto
Mas o mundo todo está tomado de semi deuses
Todos são grandes!
Titãs ,seres dinâmicos que preenchem todas as necessidades.
Não há lugar para a gente comum e sem nome
,rostos tímidos assim como o meu


Não não há lugar neste mundo para alguém tão pequeno.
È preciso fazer ser grande para ser quisto .
Mas para que esta maledicência egoística?

O mundo evolui
E perco-me neste .
O poeta profetizou a muitos anos :
“Os homens não melhoraram e matam se como percevejos
Inabitável o mundo e cada vez mais habitado
E se os olhos reaprendessem a chorar
Seria um segundo dilúvio”


E declarou que ainda falta ,um pouco ainda,
Mas falta para atingirmos o ápice,
Um nível de evolução e cultura...

Mas até lá felizmente também já estarei morto.

A.A

2 comentarios:

Luciana dijo...

O que dizer???
Estou sem palavras!!!
Espetacular,magnífico!!!

helen dijo...

gostei muito...
sinto em mim a sua provável sensação de agonia por não ter dito tudo [impossível, impossível...] mas a do alívio por ter dito algo