26 mar. 2009

"Preciso me encontrar "

Preciso me encontrar
Preciso encontrar te

Porem onde estas? tu existes? onde estas?
Sera que existiras um dia a mim?

Estou a procura e me canso

Estou cansado
Tu nao existes.Nao e apenas um sonho sem rosto
E desejo ve-la
mas tu nao sei onde estas!

Me canso
Quero me encontrar


Ou permissão ao que não preciso procurar.
Esta ao alcance de um braço
Mas distante no sonho,leguas ao mar?

"Por vezes ,apenas algumas palavras
Um telefonema,um email,algo que queira ou não queira que se ouve

Não importa,cada segundo é um caminho.
Uma decisão,duas ou mais medidas.

Estou batendo as portas.
Espero quebrar não os pulsos
Deseducado,sem etiqueta, pompa
Um simples sobrenome
Desconhecem.

Estou batendo as portas
Anos apenas fustigando os trincos
As chaves jamais acertam a fechadura
E olha se pelas frestas
O que procuras
Se não acham -te?

E preciso quebrar o trinco
E preciso bater as portas
Não com punhos ensangüentados
Mas ao mesmo tempo
Com amor e ardor"
A.


Em tempos de viver numa ilha virtual ,sem acesso ao computador, semi isolado do mundo versatil da internet, sem acervos de arquivos ao alcance de cliques, resta ligar um radio, em ondas mentais escutar e rever flashbacks de sensações inumeras. Ao tomar um onibus,receoso por decisões que correm fora de nossas mãos e vontades,unindo pontos equidistantes,Cartola soltou fora, na sua eterna cançao "Preciso me encontrar",o poema canção na voz do poeta sambista preto e pobre do suburbio carioca.Tão marginal quanto a sensaçao por mim sentida.

Preciso me encontrar, nada mais que marranico ao Vidas Marranas.E preciso retorno, reecontro.De volta a si mesmo. Parafraseio então o mesmo:Deixe-me ir preciso andar ,vou por aí mas não a procurar o que ja encontrei, apenas deixem eu encontrar ,sorrir e não chorar.

Deixe-me ir, preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar

Deixe-me ir, preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar

Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer, quero viver

Deixe-me ir preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar

Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que eu me encontrar
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas do rio correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer, quero viver

2 comentarios:

Anónimo dijo...

Grande Cartola, bom gosto musical

Anónimo dijo...

hum...que legal..meu professor além de muito inteligente é poeta ,e não poderia deixar de ser muito gostoso rs rs rs