5 ago. 2009

Historia do Brasil- Escravismo e abolição,cotas

por Armando Aguiar

Começo aqui a escrever pequenos textos para começar a entender porque sou a favor das cotas etnicas neste pais. Fato é que para além de todas discussões e opinioes a que assisto, bastassem comparar o numero de negros e pardos nas cadeias, nas filas de procura por empregos dos mais simples,com os dados e indices de seus papeis e representatividade na televisão e meios de comunicaçao, nas universidades e cursos como medicina ,direito, jornalismo, engenharias...

Pedro Abromovay pesquisador tem uma triste estatistica do 'ate quanto' anda a nossa imputabilidade e penalizaçao de crimes cometidos .Tanto queremos que criminosos sejam duramente julgados.Claro, queremos todos. Mas um adentro a questão: 70 % das prisoes efetuadas aqui na regiao do sudestes são de individuos presos com menos de 100g de droga e sem antecedentes criminais. Crimes miudos .E simplesmente ficam a mofar na cadeia. Quem são?E bem, e os filhos da classe media? Bem... e por assim uma vez mais uma visita ao sistema carcerario para ver as cores do mesmo. As latas de sardinha estão entupidas num sistema que repete um desejo da elite:execlar e não socializar o indesejavel.Por experiencia propria anos atras atuei junto jovens em situaçao de risco e pude comprovar isto.Frutos do descaso e omissao ,com uso da violencia retrucarão!

Mesmo com Prouni muito ainda tem de ser transformado.Avanços durante a ultima gestão temos tido, porém o ranço senhorial permeia a nossa patria. Se o pais de 180 milhoes de habitantes tem 55% de sua populaçao de negros e pardos, cade esta gente nestes espaços cargos publicos- universidades -representatividades na midia, etc. Qual seu percentual? Aceitaremos uma tese burkeana de que existem os mais ou menos adaptados a governarem ou serem governados? ah é a meritocracia. Arreh tenho engulos só de pensar . Meritocracia ? playboy então trabalhe 10h por dia, bata uma laje para montar sua casa -uma vez que politica habitacional para os mais pobres quase inexiste, perca 3 horas de seu dia deslocando se num onibus.Rapidinho vai pedir arrego .Vai continuar torcendo o nariz? Entao que tal um tour ,vai parecer exotico ,mas vamos deixar de lado a vida pequena burguesa ,sua vida confortavel e ... façamos coisas novas: visite uma favela, visite um presidio,olhe melhor seus empregados...

Na favela tem vida, ha um outro mundo a voce desconhecido. Visite mas sem nojinho! Conviva. Seus empregados:Eles pensam !Presidio?Que segmento da sociedade lá esta ,como em uma senzala? Vejam o quanto a sociedade maior é hipocrita. Quem são a maioria? Temos então um problema social,mas será apenas? Porque nas blitz policiais o numero de negros e pardos abordados é maior? Porque existe a lei de foro privilegiado aos que cometem crime e tem ensino superior , aos de colarinho branco ?Quem mais morre neste pais,quem mais se mata? Sao os mais pobres. E neste pais a pobreza apesar das conquistas ainda tem cor.

Ou como grande intelectual Jacob Gorender escreveu: "vivemos em pleno século XX-ele escreveu isto nos anos 80, um pais com vicios do escravismo colonial".Culpam o ensino publico,porem, esperar esta melhoria para daqui a quantos anos???Vivemos um racismo que se disfarça sob a ideia de pais miscigenado porém,é pelo tom da cor da pele, pela aparencia mais ou menos europeizada , e que assim assomando se a habitus de classes bastardas ou tidos não populares a segmentaçao se dá e se perpetua como algo cruelmente invisivel aos olhos dos que nada creem


E a historia e longa...começa em 1500,mas pensando no pais que pretendia se montar na Ordem e Progresso vamos nos ater aos anos 50 do século XIX ,ainda Imperio...Serei pontual:


Escravismo ,imigrantes e Lei de terras

A Inglaterra vinha exigindo do governo brasileiro ações explícitas para acabar com o tráfico. Em 1831, é aprovada uma "lei para inglês ver", que declarava livres os africanos desembarcados em portos brasileiros após aquele ano. Em 1845 aprova-se Bill Aberdeen e a Lei Eusébio de Queirós, que extinguia o tráfico para o Brasil. Os fazendeiros começaram a tentar utilizar o trabalho livre do imigrante. As elites alegavam que o fim da escravidão representava o colapso da economia do país. Identificavam assim seus interesses particulares com os da nação. Entretanto a realidade internacional mostrava o contrário _nos países em que a escravidão fora extinta, o desenvolvimento se acelerara.

Até 1850, as terras no Brasil eram transferidas, por doações, do Estado aos proprietários e dos proprietários aos parentes. A Lei de Terras estabelecia que as posses deveriam ser legalizadas e só poderiam ser transferidas através de contratos de compra e venda. Tais exigências visavam dificultar o acesso à propriedade da terra, induzindo o trabalhador livre imigrante a empregar-se num latifúndio. No começo de 1880, com o aumento das pressões contra a escravidão, um novo sistema, o colonato. Neste os gastos com transporte e as demais despesas não constituíam dívida da família imigrante e o sistema de remuneração era misto, composto por uma parte dos ganhos com a venda do café (como na parceria) e por um salário fixo anual.

Guerra do Paraguai, Abolicionismo e Positivismo

A aprovação da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, foi muito comemorada. Encontrava-se, de um lado, à frente de um império dominado por latifundiários e, de outro, pressionada por amplo movimento social contra a escravidão, que corria o risco de voltar-se contra o Império .porém a abolição sem uma reforma agrária era uma medida infame. Sem a oportunidade de ter acesso a um pedaço de terra do qual pudesse extrair o seu sustento a inserção dos ex-escravos nas atividades do comércio e da indústria e nas profissões com melhor remuneração teria de passar pelo crivo de séculos de discriminação. Desse ângulo, a abolição lançou os negros a sua própria sorte e libertou os brancos da culpa da escravidão.

Já a Guerra do Paraguai demonstrou que o Exército era colocado em segundo plano em relação à Marinha, sempre apoiada pelo Império. A vitória brasileira consolidaria o país como potência regional, mas fragil.O fato de as reivindicações dos militares não serem atendidas pelo Império, deslocou, progressivamente, parcela da oficialidade para a oposição.A animosidade dos militares contra o Império foi catalisada pela influência da corrente filosófica positivista entre alguns oficiais, entre os quais se destacava Benjamin Constant. Para esse grupo de militares, a monarquia se constituía num regime retrógrado e contrário aos princípios racionais de organização política. Segundo eles, a modernização do sistema político implicava a adoção do regime republicano. Entre as principais tarefas do novo regime, estaria a universalização da cidadania, com os direitos e deveres que lhe correspondem. Para os militares positivistas, a cidadania seria o elo efetivo de unificação de todos os brasileiros e, portanto, o fundamento da nação. Com isto o golpe em 15 de novembro ,a implantar a República, mas a universalização da cidadania permanece como o maior desafio do regime até os dias de hoje.

Apesar da República ter sido proclamada, essa eventual mudança política, não se manifestaria no plano social e econômico, porque persistiria a herança colonial: monocultura de exportação e latifúndio.patriarcalismo e os poderes locais.


Playboy aceite, voce perdeu.

7 comentarios:

Anónimo dijo...

Nao concordo em tudo mas a sua veemencia e indignacao que pudessem corar os mais cegos...e a sociedade seria bem diferente.

Bernardo T.

Anónimo dijo...

Armando uma só coisa,leia o email que deixe a voce ainda agora 06 de Agosto.Se vires a Sao Paulo terei o grande prazer de recebe lo. Mesmo nao concordando em tudo ,parabéns pelos artigos.Repassarei os a outros,se permitido.

Grande abraco.

Anónimo dijo...

voce e um comunista de merda

Anónimo dijo...

petista pra mim e tudo filho da puta

Anónimo dijo...

cotas vao inventar o racismo
medidazinhas populistas essas faculdade e lugar de quem tenha capacidade
daqui a pouco ate analfabeto entra e quem estudou anos e anos em otimas escolas perdera seu justo lugar

pobre quer melhorar de vida tem de trabalhar! trabalhando tudo e possivel

seu petista filho da puta odeio voces

pode me chamar de reacionario sou mesmo. quero o lugar mais alto so para os bons.

Ju dijo...

Armando, veja quem está de volta...O Idiota.Viu seu link no orkut e está de volta a azucrinar. Pelos comentarios e este odiozinho de sujeito velho mas ainda mimadinho sabemos de quem se trata.Cotas sim!COTAS JÁ!Sai do gueto seu ultrapassado!

E analfabeto é voce seu sujo.Nem usa virgulas!O dia que seus empregados cansarem de serem explorados por voce ,irás falir seu idiota!

Grande beijo Armando, escreva mais, mais e mais.

Ju.

נחמיה יצחק dijo...

Ju ,de quem seja o comentario, os proprios ja qualificam o autor. Racismo, impossivel inventar o que ja existe. Cego pior o que nao ve. Bem e ninguem e obrigado a concordar comigo tampouco poderei ter a argumentacao convincente ,porque nao e meu interesse.Falo de realidade, sem interessar me por qualquer retorica.Atenho me a praxis e nao ao tipo de teorica ou papos opinaivos de ar condicionado.Deixo o convite a quem quer que seja , qual grupo que for...sinta se na pele do outro, nao estimule a intolerancia, nao estimule os estereotipos dados a sua origem ou grupo,nao seja burro o suficiente para sentir se o portador da verdade, nao pense o mundo a partir do proprio umbigo.Pois acredite, ele é bem mais do que isto.
No mais ,está dado o recado.