7 nov. 2008

Tempo de esperanças mortas -1

Aonde você vai
Vê na pele o fogo?
O fogo não me trai
Envolto e incerto,de onde estou
não vejo você sorrindo
Clamas ao anjo que ofertou
Que ofertou
A primavera e o ninho
Geme o céu, geme o céu
Por onde estou

Céus encobertos
Me fazem lembrar
Cortinas de sonhos
Me fazem lembrar
Que um dia esbarrei
E deixei por aqui
Rasgando o escuro
Um sopro de luz

Suas sementes
Me fazem provar
Férteis serão
Em bocas de sim
Acima de tudo,
O todo alcançar
Um breve silêncio
Os faz sufocar

Não se mostre demais
O tempo parte e traz
Alguns tempos a mais
Anos atenuam, anos atenuam
Aonde você vai?

Julho está caindo
A sorte não te trai
Envolto e deserto
De onde estou, de onde estou
vejo você seguindo
Sempre de perto com fervor


Mil clarões estão por vir
Mil promessas vi partir
Mil clarões estão por vir
Será um deus o sol ?
mil clarões por vir
Será um deus o sol ?
Quem o vir subir
Verá um dia chover no sol

Dois homens indo e vindo
Geme o céu, geme o céu
por onde eu for
por onde eu for